cv.toflyintheworld.com
Novas receitas

O icônico Hollywood Roosevelt Hotel continua a se reinventar

O icônico Hollywood Roosevelt Hotel continua a se reinventar


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Inaugurado em 1927, o Hollywood Roosevelt Hotel abriga anos de história de Tinseltown - ela até sediou a primeira celebração do Oscar em 1929. Estrelas como Clark Gable, Carole Lombard, Marilyn Monroe e, mais recentemente, Brad Pitt e Angelina Jolie se hospedaram em seus quartos históricos.

Em comemoração ao seu 90º aniversário este ano, o hotel de 12 andares passou por uma reforma que manteve muito de sua rica história, incluindo os azulejos espanhóis originais do saguão maciço e a fonte em camadas. Também se reinventou em um destino elegante e moderno com uma pista de boliche, quartos redesenhados e novos restaurantes e bares.

Os 298 quartos e suítes foram recentemente renovados para incluir uma decoração moderna e elegante. Sessenta Cabana Rooms ao redor da famosa Tropicana Pool agora apresentam vidro vintage soprado à mão, piso de madeira escura e tapetes de pele de vaca. Em 2014, os quartos Tower passaram por uma grande renovação, adicionando camas luxuosas e confortáveis, sofás exuberantes, chuveiros enormes com cabeçotes de chuva, grandes mesas de trabalho e grandes televisões de tela plana, mantendo as vistas deslumbrantes do letreiro de Hollywood e da cidade abaixo .

A verdadeira atração neste verão é o bar pop-up de ostras e vinhos Rosy Oyster. Aberto até outubro de 2017, o local com 35 lugares está localizado ao lado da piscina ao ar livre pintada por David Hockey. Beba rosé, champanhe e outros vinhos combinados com a mais fresca seleção de ostras durante os meses de pico da temporada de piscinas de LA.

Dois outros restaurantes e quatro bares podem ser encontrados no hotel de referência. Ao lado do lobby está 25 graus, um restaurante estilo lanchonete 24 horas com lustres de cristal e cabines de couro aconchegantes. Lanche em pratos americanos confortáveis ​​com hambúrgueres, sanduíches, saladas e shakes.

Do outro lado do saguão fica a brasserie americana Cozinha pública e bar. Reminiscente de uma sala de jantar em uma mansão rica em Beverly Hills do passado, o restaurante exala Tinseltown vintage com mesas de nogueira escura, enormes cabines de couro tufado, grandes lustres de latão e um longo balcão de madeira. Jante pratos clássicos, incluindo terrina de foie gras, medula óssea assada, rigatoni à bolonhesa, tamboril assado e costeleta de porco com grits de cheddar.

The Tropicana apresenta uma seleção de pratos de brunch durante todo o dia, que variam de saudáveis ​​a indulgentes. Os itens do menu incluem salada de couve californiana, torrada francesa com canela e queijo grelhado com costela.

Os hóspedes podem dirigir-se ao íntimo Library Bar para saborear cocktails personalizados de origem local. Os mixologistas criam bebidas exclusivas com base nas escolhas dos hóspedes, entre uma ampla variedade de frutas frescas, vegetais e ervas. O quarto sobressalente no mezanino abriga uma pista de boliche vintage de duas pistas adjacente a um lounge de coquetéis mal iluminado e salão de jogos.

Se você visitar o ambiente da piscina Tropicana da moda (e as ostras sazonais), o ambiente descontraído do saguão ou o antigo charme de Hollywood, o Roosevelt oferece.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona foi o lugar preferido das celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais) operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de pedra calcária com suas sancas esculpidas originais, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Rica carpintaria, pisos de mosaico e tijoleira, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e Itália que trabalharam durante dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete do período de décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra situada no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Pousadas históricas aconchegantes

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso do Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que passavam pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Mais tarde, tornou-se um quartel militar e acabou recebendo convidados VIP tão diversos como Theodore Roosevelt, Charles Dickens e P.T. Barnum. Muitos quartos oferecem aos hóspedes vistas do imponente Pike’s Peak e dos sopés circundantes.

Igualmente convidativo é um favorito pessoal localizado em uma vila pitoresca entre os lagos e montanhas do oeste do Maine. O Rangeley Inn, situado em uma pequena cidade com o mesmo nome, foi inaugurado como Rangeley Tavern em 1909.

Uma visita à extensa estrutura de madeira proporciona uma introdução à área circundante e uma caminhada no tempo. Fotografias vintage penduradas nas paredes da pousada retratam vários aspectos da história e tradição local. Isso inclui sua reputação de longa data como uma meca da pesca de água doce, a ferrovia de bitola estreita que transportava visitantes de Boston, Nova York e Filadélfia naquela época e os barcos a vapor que completavam a jornada para os grandes hotéis que antes ficavam na costa de Lago Rangeley.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona foi o lugar preferido das celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais) operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de pedra calcária com suas sancas originais entalhadas, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Rica carpintaria, pisos de mosaico e tijoleira, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e Itália que trabalharam durante dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete do período de décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra situada no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Aconchegantes pousadas históricas

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso do Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que passavam pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Mais tarde, tornou-se um quartel militar e acabou recebendo convidados VIP tão diversos como Theodore Roosevelt, Charles Dickens e P.T. Barnum. Muitos quartos oferecem aos hóspedes vistas do imponente Pike’s Peak e dos sopés circundantes.

Igualmente convidativo é um favorito pessoal localizado em uma vila pitoresca entre os lagos e montanhas do oeste do Maine. O Rangeley Inn, situado em uma pequena cidade com o mesmo nome, foi inaugurado como Rangeley Tavern em 1909.

Uma visita à extensa estrutura de madeira proporciona uma introdução à área circundante e uma caminhada no tempo. Fotografias vintage penduradas nas paredes da pousada retratam vários aspectos da história e tradição local. Isso inclui sua reputação de longa data como uma meca da pesca de água doce, a ferrovia de bitola estreita que transportava visitantes de Boston, Nova York e Filadélfia naquela época e os barcos a vapor que completavam a jornada para os grandes hotéis que antes ficavam na costa de Lago Rangeley.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona foi o lugar preferido das celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais) operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de pedra calcária com suas sancas originais entalhadas, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Rica carpintaria, pisos de mosaico e tijoleira, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e Itália que trabalharam durante dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete do período de décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra situada no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Pousadas históricas aconchegantes

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso do Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que passavam pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Mais tarde, tornou-se um quartel militar e acabou recebendo convidados VIP tão diversos como Theodore Roosevelt, Charles Dickens e P.T. Barnum. Muitos quartos oferecem aos hóspedes vistas do imponente Pike’s Peak e dos sopés circundantes.

Igualmente convidativo é um favorito pessoal localizado em uma vila pitoresca entre os lagos e montanhas do oeste do Maine. O Rangeley Inn, situado em uma pequena cidade com o mesmo nome, foi inaugurado como Rangeley Tavern em 1909.

Uma visita à extensa estrutura de madeira proporciona uma introdução à área circundante e uma caminhada no tempo. Fotografias vintage penduradas nas paredes da pousada retratam vários aspectos da história e tradição local. Isso inclui sua reputação de longa data como uma meca da pesca de água doce, a ferrovia de bitola estreita que transportava visitantes de Boston, Nova York e Filadélfia naquela época e os barcos a vapor que completavam a jornada para os grandes hotéis que antes ficavam na costa de Lago Rangeley.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona era o lugar preferido para as celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de pedra calcária com suas sancas originais entalhadas, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Carpintaria rica, pisos de mosaico e mosaico, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e da Itália que trabalharam por dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete do período de décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra situada no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Pousadas históricas aconchegantes

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso do Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que passavam pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Mais tarde, tornou-se um quartel militar e acabou recebendo convidados VIP tão diversos como Theodore Roosevelt, Charles Dickens e P.T. Barnum. Muitos quartos oferecem aos hóspedes vistas do imponente Pike’s Peak e dos sopés circundantes.

Igualmente convidativo é um favorito pessoal localizado em uma vila pitoresca entre os lagos e montanhas do oeste do Maine. O Rangeley Inn, situado em uma pequena cidade com o mesmo nome, foi inaugurado como Rangeley Tavern em 1909.

Uma visita à extensa estrutura de madeira proporciona uma introdução à área circundante e uma caminhada no tempo. Fotografias vintage penduradas nas paredes da pousada retratam vários aspectos da história e tradição local. Isso inclui sua reputação de longa data como uma meca da pesca de água doce, a ferrovia de bitola estreita que transportava visitantes de Boston, Nova York e Filadélfia naquela época e os barcos a vapor que completavam a jornada para os grandes hotéis que antes ficavam na costa de Rangeley Lake.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona foi o lugar preferido das celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais) operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de pedra calcária com suas sancas esculpidas originais, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Rica carpintaria, pisos de mosaico e tijoleira, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e Itália que trabalharam durante dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete do período de décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra situada no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Pousadas históricas aconchegantes

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso do Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto, mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que estavam de passagem pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Mais tarde, tornou-se um quartel militar e acabou recebendo convidados VIP tão diversos como Theodore Roosevelt, Charles Dickens e P.T. Barnum. Muitos quartos oferecem aos hóspedes vistas do imponente Pike’s Peak e dos sopés circundantes.

Igualmente convidativo é um favorito pessoal localizado em uma vila pitoresca entre os lagos e montanhas do oeste do Maine. O Rangeley Inn, situado em uma pequena cidade com o mesmo nome, foi inaugurado como Rangeley Tavern em 1909.

Uma visita à extensa estrutura de madeira proporciona uma introdução à área circundante e uma caminhada no tempo. Fotografias vintage penduradas nas paredes da pousada retratam vários aspectos da história e tradição local. Isso inclui sua reputação de longa data como uma meca da pesca de água doce, a ferrovia de bitola estreita que transportava visitantes de Boston, Nova York e Filadélfia naquela época e os barcos a vapor que completavam a jornada para os grandes hotéis que antes ficavam na costa de Rangeley Lake.


Durma entre a história nestes hotéis históricos

Um hotel pode ser muito mais do que apenas um lugar para ter uma boa noite de sono. Propriedades em todos os EUA oferecem histórias de hóspedes famosos, acomodações que variam de descontraídas a luxuosas e oportunidades para adormecer em capítulos intrigantes da história americana.

Banhar-se no luxo

Um edifício de estilo renascentista italiano no Arizona era o lugar preferido para as celebridades de Hollywood quando foi inaugurado em 1928. O Hotel San Carlos foi o primeiro hotel em um arranha-céu em Phoenix e o primeiro no estado a ter elevadores (que eram manuais operado).

Marilyn Monroe e outras estrelas de cinema e dignitários que frequentaram o Hotel San Carlos ao longo dos anos são homenageados por estrelas de cobre colocadas na calçada. Hoje, os hóspedes do hotel entram no mesmo saguão de ladrilhos de calcário com suas molduras de coroa esculpidas originais, lustres de cristal elaborados e outras características arquitetônicas que antes saudavam estrelas de cinema famosas.

Alguns hotéis históricos foram projetados para serem destinos próprios por causa de sua decoração e móveis opulentos. De 1913 ao final da década de 1930, o Grand Hotel em Indianápolis, Indiana, ofereceu aos hóspedes o máximo do luxo. Recentemente reaberto como Omni Severin, ele mantém toques de seu passado elegante com uma dramática escadaria de mármore, um imenso lustre de cristal austríaco e cômodas de mogno originais localizadas em cada patamar de elevador.

O Hotel Du Pont em Wilmington, Delaware, foi construído durante a Idade Dourada da América para rivalizar com os melhores hotéis da Europa em estilo e beleza. Ricas carpintarias, pisos de mosaico e tijoleira, corredores dourados e outros adornos foram criados por artesãos da França e Itália que trabalharam por dois anos e meio para tornar o edifício um monumento ao excelente artesanato. Inaugurado em 1913, o resultado de seus esforços serve como um lembrete das décadas de desenvolvimento econômico dos Estados Unidos, começando na década de 1870.

Alguns viajantes abastados que podiam passar a noite no luxo optaram por “aproveitar as águas” em spas construídos perto de fontes naturais. O Crescent Hotel & amp Spa de 1886 em Eureka Springs, Arkansas, era uma dessas propriedades. A enorme estrutura de pedra no topo de uma colina lembra os castelos da Europa, ganhando o epíteto de "castelo no ar". Cercado por hectares de belos jardins e trilhas para caminhada na floresta, o Crescent Hotel mantém os traços de bom gosto que o tornaram um refúgio de montanha popular para uma clientela rica.

Da mesma forma, artesãos qualificados foram trazidos da Europa para construir o famoso hotel de Colorado Springs, The Broadmoor. Inaugurado em 1918, foi considerado um dos melhores resorts dos EUA, com um campo de golfe de 18 buracos e hospedando americanos renomados como Charles Lindburgh. Hoje, o prestigioso destino histórico continua a atrair turistas para a região de Pikes Peak.

Outro refúgio nas montanhas favorito é o Glenwood Springs 'Hotel Colorado, construído em 1893 pelo barão da prata Walter Devereux. Sua “Grande Dame” apresentava atrações elegantes como um spa de estilo europeu, jardim vitoriano, santuário de pássaros e uma impressionante cachoeira interna. O hotel também hospedou notáveis ​​como o Unsinkable Molly Brown, e continua a oferecer acesso a muitas aventuras e atividades ao ar livre do Colorado.

Pousadas históricas aconchegantes

O cenário era menos suntuoso em uma parada de descanso no Texas construída ao longo da Trilha Chisholm em 1861 para acomodar fazendeiros e tropeiros que conduziam o gado para o Kansas. Com o tempo, o modesto mas confortável Stagecoach Inn forneceu hospedagem para notáveis ​​do século 19 que passavam pelo Texas.

As diligências enfurnadas durante a noite em alojamentos no Colorado que são mais antigos do que o próprio estado. Após sua estreia em 1874, a Cliff House em Pikes Peak foi uma parada de diligências ao longo da rota de mineração de ouro de Colorado Springs a Leadville. Later, it became a military barracks and eventually hosted VIP guests as diverse as Theodore Roosevelt, Charles Dickens and P.T. Barnum. Many rooms offer guests views of towering Pike’s Peak and its surrounding foothills.

Equally inviting in its own way is a personal favorite located in a quaint village among the lakes and mountains of western Maine. The Rangeley Inn, set in a tiny town with the same name, opened as the Rangeley Tavern in 1909.

A visit to the sprawling wooden structure provides both an introduction to the surrounding area and a walk back in time. Vintage photographs hung on the Inn’s walls depict varying aspects of local history and lore. These include its long-held reputation as a freshwater fishing mecca, the narrow-gauge railroad that carried visitors from Boston, New York and Philadelphia back in the day, and the steamboats that completed the journey to the large hotels that once lined the shore of Rangeley Lake.


Sleep among history in these historic hotels

A hotel can be much more than just a place to catch a good night’s sleep. Properties across the U.S. offer stories of famous guests, accommodations that range from laid back to lavish, and opportunities to snooze in intriguing chapters of American history.

Bathe in luxury

An Arizona Italian Renaissance-style building was the go-to place for Hollywood celebrities when it opened in 1928. The Hotel San Carlos was both the first high-rise hotel in Phoenix and the first in the state to have elevators (which were hand-operated).

Marilyn Monroe and other movie stars and dignitaries who frequented the Hotel San Carlos over the years are memorialized by copper stars set in the sidewalk. Today, hotel guests enter the same limestone-tile lobby with its original carved crown moldings, elaborate crystal chandeliers and other architectural features that once greeted famous movie stars.

Some historic hotels were designed to be destinations themselves because of their opulent decor and furnishings. From 1913 to the late 1930s, the Grand Hotel in Indianapolis, Indiana, offered guests the height of luxury. Recently reopened as the Omni Severin, it retains touches of its elegant past with a dramatic marble stairway, an immense Austrian crystal chandelier and original mahogany dressers located on each elevator landing.

The Hotel Du Pont in Wilmington, Delaware, was built during America’s Gilded Age to rival the finest hotels in Europe in stylishness and beauty. Rich woodwork, mosaic and terrazzo floors, gilded hallways and other adornments were created by artisans from France and Italy who toiled for two and a half years to make the building a monument to outstanding craftsmanship. Opened in 1913, the result of their efforts serves as a reminder of the U.S.’ decades-long period of economic development starting in the 1870s.

Some well-heeled travelers who could afford to overnight in the lap of luxury chose to “take the waters” at health spas that were built near natural springs. The 1886 Crescent Hotel & Spa in Eureka Springs, Arkansas, was one such property. The massive stone structure perched on a hilltop is reminiscent of castles in Europe, earning the epithet “castle in the air.” Surrounded by acres of lovely gardens and forested walking trails, the Crescent Hotel retains the tasteful traces that made it a popular mountain retreat for wealthy clientele.

Likewise, skilled artisans were brought from Europe to build Colorado Springs’ famous hotel, The Broadmoor. Opened in 1918, it was hailed as one of the best resorts in the U.S., featuring an 18-hole golf course and hosting renowned Americans like Charles Lindburgh. Today, the prestigious historic destination continues to attract tourists to the Pikes Peak region.

Another favorite mountain retreat is Glenwood Springs’ Hotel Colorado, built in 1893 by silver baron Walter Devereux. His “Grande Dame” featured elegant attractions like a European-style spa, Victorian garden, bird sanctuary and a stunning indoor waterfall. The hotel has also hosted notables like the Unsinkable Molly Brown, and continues to offer access to Colorado’s many outdoor adventures and activities.

Cozy historic inns

The setting was less sumptuous at a Texas rest stop built along the Chisholm Trail in 1861 to accommodate ranchers and drovers herding cattle to Kansas. Over time, the modest but comfortable Stagecoach Inn provided lodgings for 19th-century notables who were passing through Texas.

Stagecoaches holed up for the night at quarters in Colorado that are older than the state itself. Following its debut in 1874, the Cliff House at Pikes Peak was a stagecoach stop along the gold mining route from Colorado Springs to Leadville. Later, it became a military barracks and eventually hosted VIP guests as diverse as Theodore Roosevelt, Charles Dickens and P.T. Barnum. Many rooms offer guests views of towering Pike’s Peak and its surrounding foothills.

Equally inviting in its own way is a personal favorite located in a quaint village among the lakes and mountains of western Maine. The Rangeley Inn, set in a tiny town with the same name, opened as the Rangeley Tavern in 1909.

A visit to the sprawling wooden structure provides both an introduction to the surrounding area and a walk back in time. Vintage photographs hung on the Inn’s walls depict varying aspects of local history and lore. These include its long-held reputation as a freshwater fishing mecca, the narrow-gauge railroad that carried visitors from Boston, New York and Philadelphia back in the day, and the steamboats that completed the journey to the large hotels that once lined the shore of Rangeley Lake.


Sleep among history in these historic hotels

A hotel can be much more than just a place to catch a good night’s sleep. Properties across the U.S. offer stories of famous guests, accommodations that range from laid back to lavish, and opportunities to snooze in intriguing chapters of American history.

Bathe in luxury

An Arizona Italian Renaissance-style building was the go-to place for Hollywood celebrities when it opened in 1928. The Hotel San Carlos was both the first high-rise hotel in Phoenix and the first in the state to have elevators (which were hand-operated).

Marilyn Monroe and other movie stars and dignitaries who frequented the Hotel San Carlos over the years are memorialized by copper stars set in the sidewalk. Today, hotel guests enter the same limestone-tile lobby with its original carved crown moldings, elaborate crystal chandeliers and other architectural features that once greeted famous movie stars.

Some historic hotels were designed to be destinations themselves because of their opulent decor and furnishings. From 1913 to the late 1930s, the Grand Hotel in Indianapolis, Indiana, offered guests the height of luxury. Recently reopened as the Omni Severin, it retains touches of its elegant past with a dramatic marble stairway, an immense Austrian crystal chandelier and original mahogany dressers located on each elevator landing.

The Hotel Du Pont in Wilmington, Delaware, was built during America’s Gilded Age to rival the finest hotels in Europe in stylishness and beauty. Rich woodwork, mosaic and terrazzo floors, gilded hallways and other adornments were created by artisans from France and Italy who toiled for two and a half years to make the building a monument to outstanding craftsmanship. Opened in 1913, the result of their efforts serves as a reminder of the U.S.’ decades-long period of economic development starting in the 1870s.

Some well-heeled travelers who could afford to overnight in the lap of luxury chose to “take the waters” at health spas that were built near natural springs. The 1886 Crescent Hotel & Spa in Eureka Springs, Arkansas, was one such property. The massive stone structure perched on a hilltop is reminiscent of castles in Europe, earning the epithet “castle in the air.” Surrounded by acres of lovely gardens and forested walking trails, the Crescent Hotel retains the tasteful traces that made it a popular mountain retreat for wealthy clientele.

Likewise, skilled artisans were brought from Europe to build Colorado Springs’ famous hotel, The Broadmoor. Opened in 1918, it was hailed as one of the best resorts in the U.S., featuring an 18-hole golf course and hosting renowned Americans like Charles Lindburgh. Today, the prestigious historic destination continues to attract tourists to the Pikes Peak region.

Another favorite mountain retreat is Glenwood Springs’ Hotel Colorado, built in 1893 by silver baron Walter Devereux. His “Grande Dame” featured elegant attractions like a European-style spa, Victorian garden, bird sanctuary and a stunning indoor waterfall. The hotel has also hosted notables like the Unsinkable Molly Brown, and continues to offer access to Colorado’s many outdoor adventures and activities.

Cozy historic inns

The setting was less sumptuous at a Texas rest stop built along the Chisholm Trail in 1861 to accommodate ranchers and drovers herding cattle to Kansas. Over time, the modest but comfortable Stagecoach Inn provided lodgings for 19th-century notables who were passing through Texas.

Stagecoaches holed up for the night at quarters in Colorado that are older than the state itself. Following its debut in 1874, the Cliff House at Pikes Peak was a stagecoach stop along the gold mining route from Colorado Springs to Leadville. Later, it became a military barracks and eventually hosted VIP guests as diverse as Theodore Roosevelt, Charles Dickens and P.T. Barnum. Many rooms offer guests views of towering Pike’s Peak and its surrounding foothills.

Equally inviting in its own way is a personal favorite located in a quaint village among the lakes and mountains of western Maine. The Rangeley Inn, set in a tiny town with the same name, opened as the Rangeley Tavern in 1909.

A visit to the sprawling wooden structure provides both an introduction to the surrounding area and a walk back in time. Vintage photographs hung on the Inn’s walls depict varying aspects of local history and lore. These include its long-held reputation as a freshwater fishing mecca, the narrow-gauge railroad that carried visitors from Boston, New York and Philadelphia back in the day, and the steamboats that completed the journey to the large hotels that once lined the shore of Rangeley Lake.


Sleep among history in these historic hotels

A hotel can be much more than just a place to catch a good night’s sleep. Properties across the U.S. offer stories of famous guests, accommodations that range from laid back to lavish, and opportunities to snooze in intriguing chapters of American history.

Bathe in luxury

An Arizona Italian Renaissance-style building was the go-to place for Hollywood celebrities when it opened in 1928. The Hotel San Carlos was both the first high-rise hotel in Phoenix and the first in the state to have elevators (which were hand-operated).

Marilyn Monroe and other movie stars and dignitaries who frequented the Hotel San Carlos over the years are memorialized by copper stars set in the sidewalk. Today, hotel guests enter the same limestone-tile lobby with its original carved crown moldings, elaborate crystal chandeliers and other architectural features that once greeted famous movie stars.

Some historic hotels were designed to be destinations themselves because of their opulent decor and furnishings. From 1913 to the late 1930s, the Grand Hotel in Indianapolis, Indiana, offered guests the height of luxury. Recently reopened as the Omni Severin, it retains touches of its elegant past with a dramatic marble stairway, an immense Austrian crystal chandelier and original mahogany dressers located on each elevator landing.

The Hotel Du Pont in Wilmington, Delaware, was built during America’s Gilded Age to rival the finest hotels in Europe in stylishness and beauty. Rich woodwork, mosaic and terrazzo floors, gilded hallways and other adornments were created by artisans from France and Italy who toiled for two and a half years to make the building a monument to outstanding craftsmanship. Opened in 1913, the result of their efforts serves as a reminder of the U.S.’ decades-long period of economic development starting in the 1870s.

Some well-heeled travelers who could afford to overnight in the lap of luxury chose to “take the waters” at health spas that were built near natural springs. The 1886 Crescent Hotel & Spa in Eureka Springs, Arkansas, was one such property. The massive stone structure perched on a hilltop is reminiscent of castles in Europe, earning the epithet “castle in the air.” Surrounded by acres of lovely gardens and forested walking trails, the Crescent Hotel retains the tasteful traces that made it a popular mountain retreat for wealthy clientele.

Likewise, skilled artisans were brought from Europe to build Colorado Springs’ famous hotel, The Broadmoor. Opened in 1918, it was hailed as one of the best resorts in the U.S., featuring an 18-hole golf course and hosting renowned Americans like Charles Lindburgh. Today, the prestigious historic destination continues to attract tourists to the Pikes Peak region.

Another favorite mountain retreat is Glenwood Springs’ Hotel Colorado, built in 1893 by silver baron Walter Devereux. His “Grande Dame” featured elegant attractions like a European-style spa, Victorian garden, bird sanctuary and a stunning indoor waterfall. The hotel has also hosted notables like the Unsinkable Molly Brown, and continues to offer access to Colorado’s many outdoor adventures and activities.

Cozy historic inns

The setting was less sumptuous at a Texas rest stop built along the Chisholm Trail in 1861 to accommodate ranchers and drovers herding cattle to Kansas. Over time, the modest but comfortable Stagecoach Inn provided lodgings for 19th-century notables who were passing through Texas.

Stagecoaches holed up for the night at quarters in Colorado that are older than the state itself. Following its debut in 1874, the Cliff House at Pikes Peak was a stagecoach stop along the gold mining route from Colorado Springs to Leadville. Later, it became a military barracks and eventually hosted VIP guests as diverse as Theodore Roosevelt, Charles Dickens and P.T. Barnum. Many rooms offer guests views of towering Pike’s Peak and its surrounding foothills.

Equally inviting in its own way is a personal favorite located in a quaint village among the lakes and mountains of western Maine. The Rangeley Inn, set in a tiny town with the same name, opened as the Rangeley Tavern in 1909.

A visit to the sprawling wooden structure provides both an introduction to the surrounding area and a walk back in time. Vintage photographs hung on the Inn’s walls depict varying aspects of local history and lore. These include its long-held reputation as a freshwater fishing mecca, the narrow-gauge railroad that carried visitors from Boston, New York and Philadelphia back in the day, and the steamboats that completed the journey to the large hotels that once lined the shore of Rangeley Lake.


Sleep among history in these historic hotels

A hotel can be much more than just a place to catch a good night’s sleep. Properties across the U.S. offer stories of famous guests, accommodations that range from laid back to lavish, and opportunities to snooze in intriguing chapters of American history.

Bathe in luxury

An Arizona Italian Renaissance-style building was the go-to place for Hollywood celebrities when it opened in 1928. The Hotel San Carlos was both the first high-rise hotel in Phoenix and the first in the state to have elevators (which were hand-operated).

Marilyn Monroe and other movie stars and dignitaries who frequented the Hotel San Carlos over the years are memorialized by copper stars set in the sidewalk. Today, hotel guests enter the same limestone-tile lobby with its original carved crown moldings, elaborate crystal chandeliers and other architectural features that once greeted famous movie stars.

Some historic hotels were designed to be destinations themselves because of their opulent decor and furnishings. From 1913 to the late 1930s, the Grand Hotel in Indianapolis, Indiana, offered guests the height of luxury. Recently reopened as the Omni Severin, it retains touches of its elegant past with a dramatic marble stairway, an immense Austrian crystal chandelier and original mahogany dressers located on each elevator landing.

The Hotel Du Pont in Wilmington, Delaware, was built during America’s Gilded Age to rival the finest hotels in Europe in stylishness and beauty. Rich woodwork, mosaic and terrazzo floors, gilded hallways and other adornments were created by artisans from France and Italy who toiled for two and a half years to make the building a monument to outstanding craftsmanship. Opened in 1913, the result of their efforts serves as a reminder of the U.S.’ decades-long period of economic development starting in the 1870s.

Some well-heeled travelers who could afford to overnight in the lap of luxury chose to “take the waters” at health spas that were built near natural springs. The 1886 Crescent Hotel & Spa in Eureka Springs, Arkansas, was one such property. The massive stone structure perched on a hilltop is reminiscent of castles in Europe, earning the epithet “castle in the air.” Surrounded by acres of lovely gardens and forested walking trails, the Crescent Hotel retains the tasteful traces that made it a popular mountain retreat for wealthy clientele.

Likewise, skilled artisans were brought from Europe to build Colorado Springs’ famous hotel, The Broadmoor. Opened in 1918, it was hailed as one of the best resorts in the U.S., featuring an 18-hole golf course and hosting renowned Americans like Charles Lindburgh. Today, the prestigious historic destination continues to attract tourists to the Pikes Peak region.

Another favorite mountain retreat is Glenwood Springs’ Hotel Colorado, built in 1893 by silver baron Walter Devereux. His “Grande Dame” featured elegant attractions like a European-style spa, Victorian garden, bird sanctuary and a stunning indoor waterfall. The hotel has also hosted notables like the Unsinkable Molly Brown, and continues to offer access to Colorado’s many outdoor adventures and activities.

Cozy historic inns

The setting was less sumptuous at a Texas rest stop built along the Chisholm Trail in 1861 to accommodate ranchers and drovers herding cattle to Kansas. Over time, the modest but comfortable Stagecoach Inn provided lodgings for 19th-century notables who were passing through Texas.

Stagecoaches holed up for the night at quarters in Colorado that are older than the state itself. Following its debut in 1874, the Cliff House at Pikes Peak was a stagecoach stop along the gold mining route from Colorado Springs to Leadville. Later, it became a military barracks and eventually hosted VIP guests as diverse as Theodore Roosevelt, Charles Dickens and P.T. Barnum. Many rooms offer guests views of towering Pike’s Peak and its surrounding foothills.

Equally inviting in its own way is a personal favorite located in a quaint village among the lakes and mountains of western Maine. The Rangeley Inn, set in a tiny town with the same name, opened as the Rangeley Tavern in 1909.

A visit to the sprawling wooden structure provides both an introduction to the surrounding area and a walk back in time. Vintage photographs hung on the Inn’s walls depict varying aspects of local history and lore. These include its long-held reputation as a freshwater fishing mecca, the narrow-gauge railroad that carried visitors from Boston, New York and Philadelphia back in the day, and the steamboats that completed the journey to the large hotels that once lined the shore of Rangeley Lake.